10 lições que aprendi no Startup Weekend

0
No primeiro fim de semana de setembro participei do Startup Weekend Unifei. Na abertura do evento, como vocês já devem ter lido aqui no blog, entrevistei a Bel Pesce, a empreendedora que escreveu os livros A Menina do Vale e Procuram-se Super Heróios. (veja a entrevista aqui). Após a abertura do evento, nos dias 1 e 2 de setembro, tivemos que desenvolver um Plano de Negócios e criar em poucas horas todo o projeto de uma ideia que deveria se transformar em empresa até o final do evento.


Startupers do SW Unifei | Foto: Divulgação 
No Startup Weekend, apresentei a ideia de criar a Midios (que depois se tornou Midius) Comunicação Eficiente. Ou seja, uma agência de comunicação que tem foco principal em resultados positivos para o crescimento de pequenas empresas e Startups, foco principal da empresa. Para conseguir um planejamento estratégico de comunicação correto para empresas que estão começando, a Midius desenvolve trabalhos em dois segmentos fundamentais para a expansão do empreendimento: Marketing Digital e Endomarketing. Acreditei desde o início neste foco e seguimos com ele até a apresentação aos jurados no dia 2 de setembro. 


Em resumo, a empresa Midius Comunicação Eficiente é uma Startup que objetiva auxiliar e criar o planejamento de comunicação para outras Startups e, com isso, crescer junto com os negócios de alto impacto. Tudo isso, com baixo custo. E para monetizar os gastos e obter lucro, a empresa também atende pequenas empresas que já têm certa consolidação no mercado e precisam fortalecer a marca e o valor institucional e adotar estratégias profissionais de comunicação e marketing. (Mas se você for a Coca-cola e quiser nos contratar, a gente atende também, o foco é pequenas empresas e Startups, mas um dia elas serão grandes, né?! E a nós também).

- Entrevista com Bel Pesce
- Visita ao escritório do LinkedIn Brasil


Equipe Midius | Valeuuu o empenho, amigos!
Enfim, agora que já formatamos o projeto, apresentamos para os jurados, tudo parece simples e lindo de explicar. Massssss, para chegar a um projeto viável, tivemos que conversar muito com os mentores, pesquisar e desenvolver um Plano de Negócios que fosse lucrativo a longo prazo. Após muitos bloquinhos rabiscados, caracteres digitados e cérebros “fritados”, enumero abaixo os aprendizados adquiridos no SW sobre gestão empresarial e empreendedorismo de alto impacto:

- Tenha um Plano de Negócios concreto: seu plano de negócios deve ser baseado no Canvas, matriz que aponta todas as características que a empresa deve preencher para visualizar melhor o negócio em que vai atuar e entender que parceiros precisa engajar, que clientes atingir, quanto vai gastar, etc. 

- Explique como e por que seu negócio será lucrativo: a inovação é importante, mas o negócio deve ser sustentável economicamente falando, ou seja, antes de começar um empreendimento, pense em como os gastos com tempo, trabalho árduo, prototipagem e demais características necessárias para montar uma empresa vão trazer lucro em médio e longo prazo.

- Trabalhe, trabalhe, trabalhe: no início, sua empresa pode até não ser lucrativa. Tenha em vista que todo o trabalho que você desenvolveu será relevante e lucrativo depois de certo período, mas não perca de vista a necessidade de trabalhar duro para alcançar a lucratividade. 

- Planeje seus custos: reduza os custos para faturar mais com menos clientes no início da empresa.

- Inove e busque segmentos com demanda crescente: não adianta apenas reinventar a roda. Se for para reinventar, faça um produto mais barato, com a mesma qualidade e que atenda a demandas que precisam dos resultados de sua intervenção empreendedora. 

- Não reclame, busque soluções (e clientes): antes de reclamar que seu negócio não é lucrativo, não é inovador, não é ousado, não é mimimimimimimi... Olhe pro lado, pode ter um cliente que precisa exatamente do que você está projetando. 

- Aprenda com os erros e não desista: pense que quanto mais você errar no início, melhor. Afinal, quando sua empresa se tornar uma multinacional, a busca por excelência e qualidade vai estar diretamente vinculada à credibilidade do negócio, e qualquer erro pode significar a queda de anos de trabalho. Já no início, os erros pequenos são perdoáveis, claro, desde que não comprometam negativamente a vida de pessoas/clientes/parceiros, ao invés de apenas processos e procedimentos institucionais.  

- Resolva os problemas rapidamente: tenha uma visão voltada para resultados e para a solução prática de pequenos problemas e crises.

- Acredite em sua ideia: uma ideia no papel é apenas uma ideia, para coloca-la em prática, você precisará do auxílio de pessoas. Para engajar parceiros, é essencial acreditar fielmente em sua ideia, em seu sonho, em sua empresa. Se você não acredita, por que os investidores, parceiros, clientes e sócios vão acreditar?

- EMPREENDA em todos os aspectos de sua vida: entenda “empreender” como “sair do lugar comum”, esteja sempre apto a aprender, a construir uma nova realidade, a transformar sua vida e a vida das pessoas próximas a você. Levante a bunda da cadeira e, como já dizia Ghandi, seja a transformação que você espera no mundo. Ou, como o slogan do SW diz: No Talk, All Action. ;)