Carta ao Inatel

0




Há pouco mais de três anos, no dia 4 de julho de 2011, iniciava meu estágio no Instituto Nacional de Telecomunicações. Hoje, dia 31 de julho de 2014, foi meu último dia de trabalho na instituição. A partir de semana que vem, vou para um novo desafio profissional.

Nestes três anos, aprendi muito, muito mesmo, no Inatel, e sou muito grato por isso. Aprendi que gosto muito de tecnologia, que busco sempre a inovação e que é essencial construir trabalhos com excelência.
Além de crescimento e conhecimento pessoal, também cresci e amadureci muito profissionalmente. E este crescimento profissional foi obtido principalmente devido à característica mais marcante do Inatel: o senso de comunidade.

No Inatel, vi e aprendi que uma empresa construída a partir do sonho de muitos, tem grandes possibilidades de ser um sucesso. Este é o caso do Inatel. A instituição foi construída a partir do desejo de muitos de fazer acontecer, mais do que isso, foi edificada e consolidada em cima de um sonho, que deu muito certo muito mais por mão na massa do que por sorte ou inspiração divina. Claro, Santa Rita deve ter ajudado - e muito, mas se não fosse a dedicação de gente que sonhava e trabalhava duro, meu amigo... o Inatel não seria o que é hoje: uma das instituições de maior renome em telecomunicações, tecnologia e inovação do país.  Graças a Deus, e à Santa, talvez, e ao Nogueira Leite, bom homem que fundou o Inatel e povou minhas noites de insônia quando tive que escrever muitass matérias sobre ele no ano do Centenário. E em breve, será o Cinquentenário. \o/

Em relação ao trabalho em si, não foi difícil, algumas vezes, desafiador, grande demais para um rapazinho lááá do interior. Ops, mas já que o Inatel também é do interior, fui com coragem e humildade falar com presidentes de multinacionais, autoridades do Ministério, do Governo, do país e do mundo. No Inatel aprendi que a comunicação bem feita é aquela que leva a essência da instituição para as pessoas.

A essência do Inatel é a amizade, a comunidade, a excelência e a inovação. Mas não pense que essa inovação é dessas complicadas de se entender, no caso do Instituto, a Inovação com letra maiúscula e bem executada ocorre no simples fato de procurar ser eficiente e bom em todos os processos, e de fazer acontecer.
Ao trabalhar valores tão simples, mineiros, fraternos... Foi fácil trabalhar, e aprender... Aprender que gostava de redes sociais , aprender que o Facebook era uma grande oportunidade para gerar engajamento e visibilidade institucional, aprender que gostava de tirar foto e que gostava de Teatro! Aprender que é importante cultivar amigos, independente das dificuldades e desafios do dia a dia de trabalho, aprender que é necessário descontrair na hora certa, aprender que tenho o direito de errar, e a obrigação de consertar... enfim, simplesmente, aprender, cada dia mais.

Depois de aprender tanto, é hora de buscar novos desafios e, deixar a família para ir atrás de novos aprendizados, novos sonhos. Mas não se preocupe, Inatel, sempre voltarei para tomar um cafézinho e dar um abraço bem apertado em todos da família. Obrigado por tudo e até breve! ;)