Mídias sociais: o perfil dos profissionais de social media

0
Um estudo sobre os profissionais de mídias sociais divulgado hoje mostra que além de existir um mercado cada vez maior na área de mídias sociais, ele está em franca expansão. A pesquisa desenvolvida pelo site trampos em parceria com a empresa Alma Beta entrevistou 1037 profissionais em todo o país.

O levantamento revela que a maioria dos profissionais são mulheres (56,4%) e trabalham tanto em agências como em empresas, geralmente de São Paulo (55%). Esses profissionais, aliás “nós”, trabalhamos cerca de oito horas por dia (45% dos entrevistados). 

Agora vamos para o dado que mais me animou: 47% dos profissionais têm ensino superior completo e 24,7 possuem pós-graduação. 

Este dado, amigos, mostra o amadurecimento do mercado. Se a demanda aumenta e os resultados começam a surgir, é natural que as empresas procurem profissionais qualificados para estarem à frente de suas marcas, e não mais o novato que era colocado à frente de um perfil de mídia social apenas para cumprir a necessidade da empresa pelo menos “transparecer” que é conectada. 

- Investimentos em Mídias Sociais: prioridade para novas empresas


Além de estudiosos, também estamos querendo compartilhar conhecimento, 47,73% dos profissionais de mídias sociais já criou um trabalho próprio de Mídias Sociais (Blog, Vlog, etc). O resultado é reflexo claro da idade da maioria dos profissionais que atuam no setor: de 25 a 30 anos (46%), representantes típicos da Geração Y, ou seja, a geração que quer se destacar e construir uma carreira profissional de sucesso em um curto período de tempo, geralmente antes dos 30. 

A parte não tão boa da pesquisa fica por conta dos salários que ainda são um pouco baixos, mas que estão crescendo cada vez mais ao ritmo da importância cada vez mais estratégica que as Mídias Sociais estão tendo para as empresas. Apesar desse probleminha, a pesquisa mostra que a maioria dos que trabalham no setor estão muito felizes – obrigado – com a profissão. 

As pessoas em geral estão satisfeitas em terem uma carreira no mercado de comunicação (90%), gostam do atual emprego (70%), valorizam o aprendizado gerado e os resultados obtidos por seus projetos. Resultados que, como mostra o levantamento, são obtidos muitas vezes “no escuro”, pois falta referências e cases nacionais para inspirar-nos, um claro resultado da juventude do setor. 

Enfim, como disse, fiquei muito feliz com a pesquisa principalmente por ver que estamos evoluindo e as Mídias Sociais passaram a ser tratadas como um setor em crescimento e não como apenas uma atribuição de estagiário ou novato. Este processo de amadurecimento impacta não apenas o setor digital mas a comunicação corporativa como um todo... o que é ótimo! Inovar passa a ser cada vez mais essencial para os comunicadores. 

Ao final da pesquisa, são traçados os “perfis” dos profissionais de social media. Mas deixarei que vocês mesmo vejam, pois é bem legal... para baixar a pesquisa completa, acesse: http://trampos.co/raiox